SAIU NA REDE

Lula é condenado a 12 anos e 11 meses de prisão no caso do sítio de Atibaia

A juíza Gabriela Hardt, da Justiça Federal de Curitiba, condenou nesta quarta-feira dia 06 de fevereiro de 2019 o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a 12 anos e 11 meses de prisão no processo da Operação Lava Jato sobre obras em um sítio de Atibaia (SP). Lula foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Além de Lula, outros 10 réus também foram condenados.

Luis Inácio Lula da Silva

O ex-presidente ainda foi condenado ao pagamento de 212 dias-multa, fixado o valor de 2 salários mínimos para cada dia-multa (R$ 423.152,00) e proibido de exercer cargo público ou integrar a direção de empresas pelos próximos 25 anos e 10 meses (dobro da pena de prisão).

Homem que bateu em assaltantes e acabou preso diz: “Fiz para proteger minha família”

Silvano Rogério Weber, de 35 anos, ficou preso durante aproximadamente 12 horas na Central de Flagrantes da Polícia Civil no bairro Portão, em Curitiba, depois de ser autuado em flagrante por agressão. Ele teria batido em dois homens que teriam tentado invadir a casa onde ele mora no bairro Hauer, na madrugada de quinta-feira dia 06/12/2018. Ficou preso, enquanto os dois homens foram soltos e voltaram até a casa do Silvano para furtar novamente, na sequencia um deles foi preso e o outro conseguiu fugir. Familiares do homem, revoltados, ficaram na delegacia durante o dia todo, até que a Justiça determinou a soltura do trabalhador. Na saída, ele afirmou que não se arrepende do que fez, mas lamentou ter ficado preso. Weber ainda contou que os policiais que fizeram a abordagem, tiveram um entendimento diferente da situação. Ele afirma que em nenhum momento se passou por policial ou torturou um dos suspeitos.

Pai de família Silvano

Por outro lado, a Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Adepol) defendeu a atuação do delegado Fábio Machado, responsável pela prisão de Weber. Segundo o advogado Cláudio Dalledone, que representa a Adepol e é Advogado da família Brittes - caso jogador Daniel de SJP, afirmou que o delegado devia ser “elogiado”. De acordo com a decisão da juíza Anne Regina Mendes, que determinou a soltura de Silvano Weber, ele terá o compromisso de comparecimento a todos os atos do processo; comparecimento mensal em Juízo para informar e justificar suas atividades; e recolhimento domiciliar diário após 20 horas, inclusive nos feriados e finais de semana. O pai de família Silvano Rogério Weber trabalha no período da noite e o advogado dele já afirmou que vai representar no Judiciário para tentar reverter algumas partes da decisão.