22/10/2020 10:10

0

Polícia

Fim da angústia

Sequestro de Tamires: Polícia Civil do RS detalha ação que prendeu três envolvidos em Cantagalo

Amanhã uma nova coletiva será realizada pela PC-RS para dar mais informações das investigações

Em Coletiva de Imprensa realizada na manhã desta quinta-feira, 22, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a Polícia Civil confirmou a participação de uma mulher, um vigilante e um taxista no sequestro de Tamires Gemelli da Silva, que foi libertada ontem após a polícia estourar o cativeiro, na cidade de Cantagalo. Além disso, uma nova pessoa presa deve ser apresentada hoje pela polícia.

De acordo com a chefe de policia do Rio Grande do Sul, Nadine Anflor, nos cinco dias de sequestro foram realizados três contatos com a família da Tamires. Ela confirmou a informação de que pediram R$ 2 milhões para o resgate, mas, disse que o dinheiro não foi entregue e que nenhum pagamento foi feito. Ainda, uma prova de vida foi pedida aos bandidos durante esses contatos.

Ela informou ainda, que com o contato realizado as polícias puderam trabalhar nas investigações e chegaram a conclusão de que Tamires foi levada de Erechim até Itá. Depois, seguiu para Chapecó e por fim foi trazida para Cantagalo, onde ficou em cativeiro. Todo esse percurso e transporte da vítima foi realizado pelo taxista.

Segundo ainda as informações repassadas hoje, a mulher presa receberia em torno de R$ 5 mil para cuidar do cativeiro. A polícia disse ainda que Tamires foi encontrada em boas condições, saudável e não sofreu nenhum tipo de violência física.

Não há indicativo de que o sequestro tenha um viés político, no entanto, não é descartado e as investigações devem seguir.

Uma nova coletiva deverá ser realizada amanhã para apresentar todos os detalhes das investigações.

Cativeiro

Segundo informações da CATVE de Cascavel, os sequestradores não chamaram a atenção dos vizinhos.

Após percorrer mais de 360 quilômetros de Erechim, no Rio Grande do Sul, a Cantagalo, no Paraná, Tamires Gemelli da Silva Mignoni de 30 anos, ficou por mais de 130 horas, em posse dos criminosos. Ao menos 120 horas, foram no cativeiro distante 30 quilômetros de Laranjeiras do Sul, no Centro-Oeste do Paraná.

Foram cinco dias de tensão, angústia e trabalho intenso, aos policiais civis da Tigre (Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial), do Paraná, e do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), do Rio Grande do Sul.

A casa, de cor azul, fica na região Central do município de Cantagalo, e ao longo dos cinco dias, os sequestradores não chamaram a atenção dos vizinhos, que não perceberam a ação. Aos fundos, Tamires foi deixada em uma 'espécie' de garagem.

Após trabalho intenso das forças de segurança, na noite de quarta-feira, 21, a jovem retornou para casa, em Laranjeiras do Sul, com a presença de dezenas de populares em frente à casa do prefeito Berto Silva.

Presos

De acordo com o blog Olho Aberto Paraná, os três envolvidos no sequestro de Tamires e que foram presos na noite de quarta-feira, 21, são: Wilson Roberto Kintof (primeira foto) e Wile Huf, conhecido como "Vilão do Taxi" e mais uma mulher. Todos os detidos pelo DEIC e pelo TIGRE estão sendo levados para a cidade de Erechim, aonde aconteceu o sequestro. 

Com informações Educadora 103,9 / Portal CATVE / Olho Aberto Paraná